COBRANÇA DE MULTAS DE TRÂNSITO PODE PRESCREVER EM 5 ANOS

Lavar o motor do carro pode danificá-lo?
14 de dezembro de 2015
Veja quando trocar e os cuidados com limpador de para-brisa
28 de dezembro de 2015
Mostrar tudo

COBRANÇA DE MULTAS DE TRÂNSITO PODE PRESCREVER EM 5 ANOS

Multa de Transito

Multa de Transito

Medida foi aprovada pela Câmara dos Deputados e precisa passar pelo Senado para começar a valer.
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1526/11, do deputado Carlos Manato (PSD-ES), que determina que a cobrança das multas de trânsito prescrevam em cinco anos. A proposta altera o Código de Trânsito Brasileiro, que hoje não determina prazo de prescrição para as multas – atualmente só prescrevem as penas de suspensão do direito de dirigir e de cassação da CNH (Carteira Nacional de Habilitação).
Os pontos acumulados na CNH permaneceriam com o mesmo funcionamento atual, ou seja, prescreveriam no prazo de um ano. O que a nova lei muda é o prazo de cobrança dos valores das multas. “Hoje nós temos nos Detrans, uma quantidade enorme de veículos que estão amontoados em todos os depósitos, e na maioria dos casos o problema é a quantidade de multas. O departamento de trânsito acaba não fazendo leilão, porque também tem multa e tem que ressarcir, então cria um grande empecilho. A prescrição libera todo esse processo”, afirma o relator da proposta Alceu Moreira.
Extintor pode voltar a ser obrigatório para carros de passeio
Aviso direto ao consumidor sobre recall será obrigarório
Correio Técnico: dirigindo com o braço (ou a perna) quebrado
Durante o período de cinco anos em que estiver inadimplente, o condutor estará sujeito às penalidades do Código de Trânsito, como ter o carro apreendido, e também não poderá fazer a transferência da propriedade do carro, como já ocorre hoje em dia. Pela proposta aprovada, o prazo de prescrição das multas de trânsito começa a ser contado 30 dias depois de o condutor receber a notificação.
O projeto está aprovado pela Câmara e será analisado agora pelo Senado para entrar em vigor.

Fonte:http: quatrorodas.abril.com.br

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *